Mais detalhes sobre o acidente que levou a morte da jovem santa-luziense Islaynne Rodrigues



JOVEM TERIA CONHECIDO O CONDUTOR DO VEICULO NO TINDER


Foi registrado na noite de quinta feira (19/11) um acidente automobilístico, por volta das 20:30h. De acordo com informações da polícia militar, um carro Tiguan de placa PBQ 2382 Brasília -DF, de cor branca, conduzido por A. C. L. 31 anos, natural de Natal-RN, que dirigia em alta  velocidade perdendo o controle do veículo e capotando por diversas vezes na Br 104, próximo ao trevo que fica entre Barra de Santa Rosa e Cuité no Curimataú paraibano. O grave acidente, deixou como vítima fatal a jovem santa-luziense, Islaynne Rodrigues de Sales de apenas 18 anos, que foi arremessada do veículo por estar sem o cinto de segurança. Com o impacto, a jovem teve o seu corpo dilacerado vindo ao solo. O corpo da jovem foi levado pelo IPC de Campina Grande.

O condutor do veículo, A. C. L. foi socorrido pelo Samu de Cuité e encaminhado para o hospital do trauma em Campina Grande. Ele sofreu escoriações leves. 

Ainda de acordo com informações o veículo que caiu em uma ribanceira foi tomado pelas chamas logo após colidir com um poste.

COMO TUDO ACONTECEU...

Segundo a família da jovem, Islaynne conheceu A.C.L. em um app de encontros, o Tinder. As conversas migraram para a rede social Instagram e após 8 dias de conversas pelo app, eles marcaram um encontro para se conhecerem pessoalmente, na cidade de Picuí, aonde a jovem residia. Minutos antes dele chegar na cidade Acácio, enviou um vídeo através do WhatsApp, perguntando se ela estaria pronta para bancar “velozes e furiosos”,  (longa que retrata corridas de rua ilegais na cidade de Nova Iorque), dando a entender que iriam andar  em alta velocidade. Foi registrado que antes de saírem para o passeio, estiveram em um barzinho daquela cidade, chamado “Matuto Chique” e em seguida saíram no sentido Barra de Santa Rosa onde aconteceu o trágico acidente.


A família que hoje sofre com a perda irreparável da jovem, alerta aos jovens para o perigo desses encontros marcados pelas redes sociais, e que muitas vezes, levam a morte como foi o caso de Islaynne, que confiou a sua própria vida a um estranho. 

O caso se encontra nas mãos do advogado, aguardando as decisões judiciais.

TEXTO: Janaina Patrícia
Fonte: quilomboursula.blogspot.com

Postar um comentário

0 Comentários