Home Destaque FAKE NEWS: EUA não compraram todas as doses que serão produzidas em 2020

FAKE NEWS: EUA não compraram todas as doses que serão produzidas em 2020

5 primeira leitura
0
0
19

O Próprio laboratório desmentiu que o governo americano teria comprado todas as doses da vacina

Na reta final do desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus, a notícia de que os Estados Unidos teriam já reservado toda a produção do imunizante do laboratório Pfizer em parceria com a BioNtech soou como uma bomba. O governo americano desembolou 1,95 bilhão de dólares para comprar 100 milhões de doses do produto. O acordo firmado ainda prevê entrega de até cerca de 500 milhões de doses ao longo do próximo ano.

Em comunicado, a Pfizer afirmou que a capacidade do laboratório é de pelo menos o dobro em relação ao lote que será destinado aos Estados Unidos. “O governo americano não comprou todas as doses que serão produzidas em 2020. O acordo estabelecido prevê uma compra inicial de 100 milhões de doses, seguida por uma compra de 500 milhões de unidades, com entregas a serem realizadas ao longo de 2020/2021. A Pfizer estima ter uma produção de 1.3 bilhão de doses entre 2020 e 2021. A companhia está em contato com os governos de todo o mundo, incluindo o Brasil, para disponibilizar sua futura vacina à população”, diz a nota da empresa.

BRASIL ENCONTRA-SE EM UMA POSIÇÃO PRIVILEGIADA

A vacina da Pfizer ainda não está em fase 3 de estudos, a última etapa de pesquisa. Há pelo menos dois imunizantes em estágio mais adiantada e o Brasil encontra-se em uma posição privilegiada para o acesso a eles. Além de participar dos estudos, o país fechou um acordo com a farmacêutica britânica Astrazeneca, responsável pela fabricação e distribuição da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, para garantir a compra de 30,4 milhões de doses, que deverão chegar entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, já prontas para serem aplicadas. Se a vacina tiver resultados positivos e obtiver o registro no Brasil, serão produzidas mais 70 milhões de doses.

De acordo com o Ministério da Saúde, assim que a vacina contra o coronavírus estiver aprovada, as doses iniciais serão destinadas a “públicos mais vulneráveis” como idosos, pessoas com comorbidades, profissionais de saúde, professores, profissionais de segurança, indígenas, motoristas de transporte público e pessoas privadas de liberdade. A definição exata de quem poderá receber a vacina,

O país também já fechou acordo para transferência de tecnologia da vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. O Instituto Butantan está adaptando uma fábrica para a produção da vacina, com capacidade de até 100 milhões de doses. Além disso, o acordo prevê que o Brasil receber 120 milhões de doses fabricada na China, onde a produção já começou.

VEJA

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por WANDER RUDNEY
Carregar mais por Destaque

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Natural do Vale do Sabugi, Terezinha Domiciano, pode ser a primeira mulher representante da Região a assumir cargo de reitora da UFPB

A região do Vale do Sabugi, no Sertão da Paraíba, poderá ter pela primeira vez uma represe…