Home Destaque Cidades do Vale do Sabugi receberão mais de 2,5 milhões de reais após Leilão da cessão onerosa realizada ontem. Confira quanto cada municipio irá receber:

Cidades do Vale do Sabugi receberão mais de 2,5 milhões de reais após Leilão da cessão onerosa realizada ontem. Confira quanto cada municipio irá receber:

4 primeira leitura
0
0
213

Com uma arrecadação menor do que a esperada – em razão de apenas dois dos quatro blocos terem sido arrematados –, a rodada de licitações dos excedentes da cessão onerosa ocorreu na manhã desta quarta-feira, 6 de novembro. Ainda que os R$ 69,960 bilhões em bônus de assinatura ofertados não tenham correspondido aos R$ 106,56 bilhões estimados, em valores, foi o maior leilão do setor de petróleo já realizado no mundo.

Parte da arrecadação com o leilão será utilizado para o pagamento à Petrobras decorrente da revisão do contrato de cessão onerosa. Outra parte do bônus de assinatura será repartido com Estados, Distrito Federal e Municípios, conforme critérios estabelecidos pela Lei nº 13.885/2019.

Proposta aprovada pelo Congresso Nacional (PL 5478/19), que foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, estabelece que, do total a ser arrecadado pela União, 15% deverão ser divididos pelos municípios conforme o critério do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Isso equivale a mais de R$ 10,8 bilhões.

Os municípios do Vale do Sabugi deverão receber com o leilão de ontem,  um total de R$ 2.579.881,81, sendo que Santa Luzia receberia uma parcela maior que as demais, cerca de R$ 758.788,77, e as cidades de São José do Sabugi, São Mamede, Junco do Seridó e Várzea receberá R$ 455.273,26 cada uma.

  • Santa Luzia: R$ 758.788,77
  • São Mamede: 455.273,26
  • Várzea: 455.273,26
  • São José do Sabugi: 455.273,26
  • Junco do Seridó: 455.273,26

Total: 2.579.881,81

CLIQUE AQUI E CONFIRA QUANTO CADA CIDADE BRASILEIRA DEVERÁ RECEBER COM O LEILÃO DE ONTEM (6)

Porém, a forma de pagamento do bônus dependerá do ágio na alíquota de partilha. Em caso de ágio na alíquota inferior a 5% em relação ao percentual mínimo, o bônus terá que ser pago integralmente até 27/12/2019. Em caso de ágio na alíquota igual ou superior a 5%, o bônus poderá ser parcelado, quarta-feira, 6 de novembro de 2019 ̶ Nota Técnica sendo a primeira parcela devida até 27/12/2019 e a segunda parcela até 26/06/2020. Não incide correção monetária ou Selic sobre o valor da segunda parcela nesse intervalo de tempo. Se houver parcelamento, os valores de cada parcela, como porcentagem do bônus de assinatura, são os seguintes:

a) Para os blocos de Búzios e Itapu:

i. 75% (cinquenta por cento) até 27 de dezembro de 2019;

e ii. 25% (cinquenta por cento) até 26 de junho de 2020

b) Para os blocos de Sépia e Atapu:

i. 50% (cinquenta por cento) até 27 de dezembro de 2019;

e ii. 50% (cinquenta por cento) até 26 de junho de 2020

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Destaque

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Inflação demonstra que País está se ‘civilizando’ cada vez mais

O presidente Jair Bolsonaro comemorou em sua transmissão ao vivo semanal pelo Facebook a i…