Home Economia TJ declara artigo de lei municipal inconstitucional por efeito cascata nos salários de São José do Sabugí

TJ declara artigo de lei municipal inconstitucional por efeito cascata nos salários de São José do Sabugí

3 primeira leitura
0
0
522
O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba julgou procedente pedido formulado pela prefeita constitucional Iracema Nelis , do Município de São José do Sabugi, a 276 km de João Pessoa, na Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 0101045-73.2011.815.0000. A decisão unânime, ocorrida nesta quarta-feira (14), declarou a inconstitucionalidade do artigo 63 da Lei Municipal 423/2008. O relator da ADI foi o desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides.
De acordo com o relatório, a autora da ADI sustentou que o artigo de lei é inconstitucional, em razão da existência do efeito “repicão”, porque as ascensões, por qualificação, estipuladas na citada norma são cumulativas, e o artigo 30, XVIII, da Constituição Estadual veda tal tipo de cumulação. Requereu a concessão de medida cautelar para suspender a eficácia do artigo 63 da Lei 423/2008, que foi deferida no curso do processo.
A requerente alegou que estão ocorrendo cumulações salariais indevidas, quando um professor progride de um nível para o outro, o que ocasiona um efeito cascata ou repique nos salários dos aludidos servidores, o que é vedado pela Constituição Federal no seu artigo 37, XIV, e pelo artigo 30, XVIII, da Constituição Estadual.
No voto, o relator ressaltou que o efeito cascata está no fato do caput do artigo 63 utilizar a palavra remuneração, pois esta compreende o vencimento do cargo efetivo, acrescido de vantagens pecuniárias. “Toda vez que houver uma progressão, o servidor terá direito a ver o percentual de aumento incidindo sobre o vencimento, somado ao acréscimo, o que, sem dúvida, caracteriza um efeito cascata”, enfatizou Saulo Benevides, acrescentando que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre a vedação do denominado efeito cascata.
“Não se pode permitir que o artigo 63 da Lei 423/08 continue produzindo efeitos, uma vez que tal situação implicaria em despesas de grande vulto para o Município e para o Instituto de Previdência do Município, nos termos do art. 1º da referida Lei”, concluiu o desembargador-relator.
JornalDaParaiba
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Economia

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Petrobras anuncia alta da gasolina nas refinarias a partir de quinta e valor chega a recorde.

O preço médio da gasolina praticado pela Petrobras nas refinarias será elevado ao maior pa…